conecte-se conosco


Saúde

Vitamina D não tem eficácia contra Covid-19, afirma estudo

Publicado


source
genoma novo coronavírus
Divulgação

coronavírus


Suplementos de vitamina D em alta dosagem não têm efeito contra a Covid-19 , doença transmitida pelo novo coronavírus. A informação foi provada em estudo publicado na edição de hoje, 22, do periódico científico BMJ Nutrition, Prevention & Health.

Leia também: Sociedade de Cardiologia não recomenda uso de cloroquina para Covid-19

O estudo foi executados em países europeus, além do Reino Unido e Estados Unidos. Segundo os pesquisadores, não existem evidências que embasam que vitamina D é eficaz em tratamentos contra a doença.

Segundo notícias sem embasamento na ciência, doses maiores que 4.000 IU/d de vitamina D poderiam ser eficazes para tratar a doença transmitida pelo novo coronavírus .

Leia também: Covid-19: universidade de Oxford testará vacina em crianças e idosos

No entanto, cientistas deste estudo não encontraram explicações científicas para a afirmação, mas sim associações da falta de vitamina D em indivíduos que sofrem de infecções agudas respiratórias. Assim, a tese não é associável à Covid-19 .

A chefe do Departamento de Ciências da Nutrição da Universidade de Surrey, Sue Lanham-New, encabeçou o estudo.

Leia também: Covid-19 já mata mais que diabetes, câncer de mama e AVC por dia no Brasil

“Um  nível adequado de vitamina D no corpo é crucial para nossa saúde em geral. Muito pouco, pode levar ao raquitismo ou ao desenvolvimento de osteoporose. Mas exagerado pode levar ao aumento dos níveis de cálcio no sangue, o que pode ser danoso”, ela afirmou

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Ar condicionado contribui para a transmissão da Covid-19? Tire suas dúvidas

Publicado


source

Minha Saúde

As medidas de prevenção, como o uso da máscara e álcool em gel, são essenciais para evitar a transmissão do coronavírus enquanto estamos na rua. Mas, dentro de casa, como se proteger?

A DECO PROTESTE, a Associação de Defesa do Consumidor em Portugal, esclarece aos consumidores se o ar condicionado em casa contribui, ou não, para a contaminação do vírus.

Aqui no Brasil, o aparelho tem opções de ajuste de temperatura conforme a estação do ano, por exemplo, há o ciclo quente que aquece o ambiente e pode ser uma solução para o inverno.

A circulação de ar é o principal

Geralmente, em casa, os aparelhos de ar condicionados são split ou de janela – em uma unidade no cômodo. Ao contrário do ar condicionado central, não há a captação do ar de fora para dentro da casa e não existe a recirculação de ar entre os espaços.

Assim, não há um risco a mais de contaminação porque o aparelho presente no quarto esfria somente o ar que já estava no quarto. Mas ele não garante a renovação adequada do ar, necessária para a prevenção do coronavírus.

Leia mais: Relação entre tabagismo e Covid-19 é tema do Dia Mundial Sem Tabaco deste ano

Recomendações para renovação do ar

A ventilação natural da casa é preferível, por isso, as recomendações para renovar o ar completamente são abrir as janelas e portas de maneira frequente. Para garantir a circulação do ar, as janelas devem ser abertas mais vezes durante o dia e, quando estiver calor, é indicado abri-las nos horários de menor temperatura (de manhã ou fim de tarde), a fim de proporcionar um ambiente fresco.

Para manter o conforto de forma mais segura com o ar condicionado, é importante limpar o filtro dos aparelhos regulamente. Além disso, nessa época do ano, em que estamos quase no inverno, não é necessário usá-lo na potência máxima para proporcionar uma temperatura mais confortável – o que economiza energia.

Fonte: IG SAÚDE

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas