Connect with us

Economia

Um em cada três usuários de cartões de crédito nem sabe o valor de sua fatura

Publicado em


Valor da fatura do cartão de crédito é desconhecida por um a cada três usuários brasileiros
Torange-PT/Creative Commons

Valor da fatura do cartão de crédito é desconhecida por um a cada três usuários brasileiros

A Confederação de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) realizaram pesquisa referente ao mês de agosto deste ano com usuários de cartão de crédito. Foi constatado que um a cada três não sabe o valor da fatura do mês anterior.

Leia também: Número de negativados cresce 3,9% e chega a 62,4 milhões no Brasil em setembro

O Indicador de Uso do Crédito mostra que os atrasos no pagamento podem custar caro para o usuário e comprometer os orçamentos. Ainda assim, 33% (um terço) dos usuários pesquisados alegaram desconhecer o valor da fatura
de agosto, mês que antecedeu a pesquisa.

Além disso, aproximadamente 25% entraram no rotativo
, que é quando o usuário paga somente o valor mínimo da fatura e depois é cobrado com juro muito maior – superior a 200% ao ano. Cerca de 74% dos entrevistados pagaram o valor cheio da fatura, percentual que cai para 64% nas classes C e D.

Leia também: Apenas 31% dos brasileiros são consumidores conscientes, revelam CNDL e SPC

Segundo especialistas, não ter controle do orçamento
provoca desorganização e gera bolas de neve que, em muitos casos, pode levar à necessidade de renegociação de dívidas que levam meses para serem quitadas, comprometendo as contas por mais tempo. 

O estudo mostrou que, dentre os usuários que fizeram empréstimos e financiamentos, metade atrasou parcelas da dívida em algum momento, sendo que 21% ainda estão com prestações pendentes. Quatro em cada dez consumidores (42%) recorreram a algum crédito em agosto, número que se manteve próximo da média dos últimos 12 meses.

Mais de a metade dos consumidores têm dificuldades para arrumar crédito (52%), enquanto outros 21% disseram não achar fácil nem difícil e 10% acham simples. Nas classes mais baixas, novamente, o entrave é maior. Nas classes C e D, as dificuldades atingem 56%.

A maioria dos entrevistados (55%) diz ter como meta reduzir o valor da próxima fatura do cartão. E as razões para querer cortar gastos são variadas: para 33%, isso é preciso devido aos altos preços do mercado; outros 30% alegaram estar desempregados, enquanto 20% se dizem endividados, 14% tiveram queda nos rendimentos e 12% querem guardar dinheiro.

A pesquisa também traz que oito em cada dez consumidores (82%) estão no limite do orçamento – 44% no ‘zero a zero’ e 38% no vermelho (sem recursos suficientes para arcar com os compromissos. 

Leia também: Concursos públicos da semana oferecem 7.360 vagas com salários de até R$ 24 mil

Os dados, que estudam desde o valor da fatura
média até as dificuldades ou não em conseguir crédito, englobam 800 pessoas, entrevistadas em capitais das cinco regiões brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília, Goiânia, Manaus e Belém. Os entrevistados tinham 18 anos ou mais, eram de ambos os sexos e de todas as classes sociais. A margem de erro da pesquisa é de 3,5 pontos percentuais.

Comentários Facebook
Advertisement

Economia

Uber vai acabar com o Rewards, seu programa de fidelidade

Published

on

O programa Rewards chegou ao Brasil em 2019
Giovanni Santa Rosa

O programa Rewards chegou ao Brasil em 2019

A Uber comunicou a usuários do aplicativo de transporte neste fim de semana que vai encerrar o seu programa de fidelidade, o Rewards, que chegou ao Brasil em 2019. A decisão, segundo a empresa, é global e não haverá um programa substituto, ao menos por enquanto.

O programa permitia a usuários da plataforma acumular pontos a cada corrida ou pedido (no caso do Uber Eats), os quais poderiam ser trocados por benefícios como descontos na própria plataforma ou em parceiros como serviços de streaming.

Neste sábado, usuários da plataforma no Brasil receberam um comunicado sobre o assunto. “Você tem até o dia 31 de agosto para acumular pontos. Depois dessa data, os benefícios atrelados aos níveis do programa também deixarão de existir.”

Segundo o comunicado, os pontos já acumulados poderão ser trocados por benefícios até 31 de outubro de 2022. Em 1º de novembro, o Uber Rewards será “totalmente encerrado”, segundo o anúncio. Os usuários podem visualizar seus pontos e resgatar seus benefícios na seção ‘Conta’ no app da Uber.

O fim do programa não ocorrerá apenas no Brasil, e sim em todas as operações da Uber no mundo. Segundo o site The Verge, usuários nos Estados Unidos também receberam comunicado semelhante. O encerramento do benefício ocorre após a plataforma realizar, no Brasil, pesquisas com usuários sobre a avaliação que faziam dos benefícios oferecidos. Por aqui, a plataforma enfrenta forte concorrência da 99, controlada pela chinesa Didi.

“No sábado, dia 13 de agosto, anunciamos aos nossos usuários que o Uber Rewards será encerrado em 1° de novembro. (…) Agradecemos aos nossos usuários pela fidelidade e por fazerem parte do Uber Rewards”, disse a Uber em nota.

No segundo semestre deste ano, a Uber teve, globalmente, um prejuízo de US$ 2,6 bilhões (R$ 13,2 bilhões no câmbio atual), ante lucro de US$ 1,14 bilhão registrado no mesmo período de 2021.

Apesar disso, e de buscar encerrar suas operações mais deficitárias (a exemplo da operação de delivery do Uber Eats no Brasil), a plataforma tem aumentado sua receita. O faturamento no segundo semestre deste ano foi de US$ 8,07 bilhões, o dobro do registrado de abril a junho de 2021.

Entre no canal do Brasil Econômico  no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas