conecte-se conosco


Esportes

Torcedor do Flamengo que rifou ingresso para salvar vida de cão ganha surpresa

Publicado

Lance

A última terça-feira foi uma das mais loucas na vida do dono do cachorro “Doze”, um novo mascotinho do Flamengo. Além de passar por alguns problemas pessoais, Danilo Mello, flamenguista de 32 anos,  resolveu rifar um ingresso da partida de volta entre o Rubro-Negro e o Grêmio, pela semifinal da Libertadores , no Maracanã, para bancar o tratamento de um câncer que foi descoberto no animal.

flamengo arrow-options
Reprodução/Instagram

Torcedor do Flamengo ajudará seu cachorro com dinheiro de ingresso


No entanto, o que o torcedor do Flamengo não esperava era que a rifa – que acabou virando uma vaquinha online – fosse viralizar e alcançar, em menos de uma semana, o valor de quase R$ 30 mil.

– É uma parada fora do comum, no pior momento que poderia acontecer. Coisas da vida. É muita coisa. Meu pai está internado, é muita coisa (acontecendo), disse o torcedor ao LANCE! .

Leia também: ‘Iludido’, torcedor do Flamengo já comprou ingressos para final da Libertadores

A história com o bichinho começou em 2014, quando Danilo, ao lado da mulher, a vascaína Renata Ragi, resolveu adotar o cachorro , que estava abandonado em Niterói. O casal não teve dúvidas de que a decisão de tratar o mascotinho passaria por perder a tão sonhada semifinal da competição continental dentro do estádio. Para o rubro-negro fanático, a escolha foi imediata.

– Falei com um amigo meu sobre vender meu carro, mas meu carro não está nem metade quitado, nem IPVA está pago, cheio de multa. Aí pensei com a Renata de fazer aquelas vaquinhas que dão certo na internet, mas com uma rifa. A ideia não era só pedir dinheiro, mas ter alguma coisa envolvida com ele. Ficamos pensando em o que colocar e fui ver o que tinha aqui. Eu só tenho um videogame velho, não vai dar. Então o que eu tinha de mais precioso aqui era o meu ingresso – revelou ele, que completou:

– Eu nem pensei muito. Quando a gente colocou, pensamos: “Vai atingir só os amigos”. Eu devo ter 100 amigos e você deve ter 100 amigos e a gente junta aqui. Tendo o ingresso, eu procuro os grupos de Facebook do Flamengo e compartilho. Só entre nós, eu esperava chegar em um dinheiro legal e ajudar. Eu sou um nível mongol pelo Flamengo, mas eu nem pensei nisso não.

A expectativa inicial era arrecadar o máximo de dinheiro possível para custear o tratamento do cachorro de estimação deles. No site, a meta é de R$ 7 mil, mas a quantia acumulada já ultrapassa em mais de 400% do valor inicial: cerca de R$ 30 mil. A vaquinha virtual foi criada no dia 4 de outubro e irá até o dia
18 desse mês, pouco antes da partida contra o Grêmio, onde será sorteado o nome do vencedor da rifa.

– Vai ter o sorteio, pelo amor de Deus! Tem muita gente querendo ainda e vai acontecer muita coisa boa – confirmou ele.

Vale lembrar que o primeiro tratamento contra um tumor maligno foi feito nesta segunda-feira, em uma clínica. Depois de consultarem um veterinário por conta de uma inflamação no rosto de “Doze”, a doença foi confirmada e os custos para tratamento no queixo do cãozinho de 5 anos abalaram o casal de torcedores.

– (O “Doze”) É Mengão! Quando sai gol aqui, aquela gritaria, ele começa a latir, vai lá fora… também nem tinha opção – brincou Danilo, que falou das fotos compartilhadas do cachorro com o uniforme do clube carioca.

– Eu sou nível doente mental desde moleque, eu tenho todos os ingressos de antes da época do cartão (de sócio-torcedor) – afirmou Danilo, que é sócio-torcedor e conseguiu um dos ingressos praticamente esgotados para a decisão do dia 23 de outubro entre as equipes brasileiras.

Mesmo em situação financeira complicada, Renata fez questão de agradecer por toda a ajuda que eles estão recebendo nesse momento e prometeu que tudo o que for arrecadado será para o tratamento. Além disso, caso sobre algum dinheiro, os valores serão repassados para a Garra Animal, uma instituição que eles sempre buscam ajudar.

– O que nós mais ganhamos foi energia, amor, carinho, de verdade, que nós recebemos, de tantos lugares desconhecidos. Só de compartilhar, qualquer coisa, é muito emocionante além do que eu consigo descrever. E eu tenho certeza de que toda essa energia vai ser um remédio para ele. Ainda tem uma batalha (contra o câncer) além do dinheiro. E essa energia eu tenho certeza que estará ajudando também – desabafou Renata.

Ainda segundo ela, a campanha para arrecadar custos ao tratamento, que conta com o apoio massivo da torcida do Flamengo, vale bem mais do que qualquer rivalidade dentro e fora dos gramados.

– A primeira mensagem que eu fiz para os amigos, eu brinquei: “Pelo melhor do ‘Doze’, eu viro até Flamengo”. Então com isso, a gente vai rifar um ingresso do Flamengo. Eu sempre fui Vasco, só que quando sai do meu grupo de amigos, algumas pessoas ficaram ofendidas. Interpretaram de uma maneira errada e a internet é meio exaltada – comentou a namorada de Danilo.

Para Danilo, “Doze” pode ser literalmente o 12° jogador rubro-negro e se transformar em um talismã nesta reta final de temporada, trazendo sorte ao Fla.

– Vai que ele vira um macote do Flamengo. Seria legal. Eu estou acreditando em tudo nesse momento, tem tanta coisa louca acontecendo junta nesse momento. Não duvido mais de nada, e tudo o que vier para o bem… – finalizou.

Leia também: Flamenguistas se revoltam contra Tite após convocação de Gabigol e Rodrigo Caio
Para completar os dias animados do casal, o rubro-negro ainda recebeu uma grata surpresa depois de tanto apoio ao seu bichinho nesta quarta-feira: Danilo ganhou da cervejaria Brahma um ingresso para prestigiar o duelo contra o Grêmio e poderá voltar a assistir no Maracanã a decisão do time do coração. “Estou arrepiado. Agradeço demais à Brahma. A gente tinha que salvar o Doze, nosso 12º jogador e que agora vai virar mascote do Flamengo “, brincou o torcedor.

Comentários Facebook
publicidade

Esportes

Bolívia estuda volta do futebol e jogo contra a Seleção Brasileira

Publicado


.

 

Os primeiros jogos das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar, em 2022, estavam marcados para março, mas tiveram de ser adiados devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). A Conmebol ainda não definiu uma data, mas há a previsão de as eliminatórias começarem em setembro. A Seleção Brasileira vai estrear contra a Bolívia, em casa, e, se não houver mudança, o jogo será na Arena Pernambuco.

A Agência Brasil conversou com José María Carrasco, zagueiro do Blooming e da Seleção Boliviana. O jogador de 22 anos, que disputou a Copa América no Brasil no ano passado, disse que, apesar da preocupação com a saúde, está ansioso para o recomeço do futebol. Além disso, garantiu que acredita em uma nova classificação da Bolívia para o Mundial – a última participação da “La Verde” foi em 1994.

Zagueiro Carrasco confia na classificação para a Copa do Catar Zagueiro Carrasco confia na classificação para a Copa do Catar

Zagueiro Carrasco confia na classificação para a Copa do Catar – Henry Paul Ugarte

Agência Brasil: A Federação Boliviana de Futebol (FBF) vai se reunir com os clubes nesta sexta-feira (5), para discutir a volta às atividades. Como os jogadores do país estão lidando com este cenário?

Carrasco: Mais de dois meses e ainda não há planos de jogar novamente. Com os colegas de equipe, mantemos um diálogo constante, pois temos palestras e conferências quase diariamente, junto com a equipe de coaching.

Agência Brasil: Como isso pode interferir na qualidade das equipes?

Carrasco: Sem dúvida, isso prejudicará em todos os aspectos, tanto físico quanto técnico. Mas é nossa obrigação continuar treinando neste período de pandemia.

Agência Brasil: Sobre as Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Catar, existe uma previsão de começo em setembro. Mas não há uma confirmação. Isso provoca ansiedade entre os atletas?

Carrasco: Pessoalmente, estou muito ansioso de voltar a jogar, mas sei que a saúde vem em primeiro lugar. Apesar de toda essa pandemia, estamos nos preparando mentalmente para enfrentar esses tipos de jogos, que sabemos que serão muito difíceis para nós.

Agência Brasil: Como vai ser entrar em campo, provavelmente, sem a presença do torcedor na arquibancada? O futebol vai mudar muito após a covid-19?

Carrasco: A verdade é que será muito estranho e diferente, pois estamos acostumados a sempre sentir o apoio dos torcedores. Eu acho que isso mudará em todos os aspectos, será como começar do zero, mas espero que, com o passar do tempo, tudo se normalize.

Agência Brasil: Como será enfrentar o Brasil na estreia fora de casa, sabendo do número de infectados e mortos pela covid-19. Isso de alguma forma preocupa?

Carrasco: Teremos de jogar no Brasil, então que seja o mais rápido possível. Queremos jogar contra as equipes mais fortes o quanto antes. Quanto à pandemia, estamos todos um pouco assustados. Mas certamente, quando competirmos novamente, teremos as medidas de saúde necessárias.

Agência Brasil: A Seleção Boliviana está confiante para alcançar a tão sonhada vaga em uma Copa do Mundo?

Carrasco: Para ser sincero, temos uma tremenda fé nessas rodadas de classificação, estamos nos preparando há um tempo para competir em igualdade de condições com qualquer equipe. E isso foi demonstrado no pré-olímpico pela seleção sub-23. Acreditamos firmemente que podemos nos qualificar para a próxima Copa do Mundo.

Edição: Sergio du Bocage

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas