conecte-se conosco


Policial

Procon e Polícia Civil realizam fiscalização em farmácia que cobrou R$570 por ivermectina

Publicado

A Polícia Civil em conjunto com o Procon de Cuiabá realizou nesta quarta-feira (1º) uma fiscalização em uma farmácia de manipulação da Capital, denunciada por vender o medicamento ivermectina, remédio utilizado no tratamento e prevenção ao coronavírus, por R$ 570, sendo 865% mais caro que o valor cobrado na semana passada.

A denúncia foi registrada por uma consumidora que teria pago por 60 capsulas do medicamento na semana passada, o valor de R$ 59. Já nessa semana, ela comprou a mesma quantidade do produto pelo valor de R$ 570. Inconformada, a mulher procurou o Procon para registrar a denúncia e uma equipe do órgão, juntamente com a Polícia Civil foi até o estabelecimento para realizar uma fiscalização.

As equipes foram recebidas pela responsável pela farmácia, que apresentou notas fiscais informando que, a matéria prima utilizada na fabricação da ivermectina manipulada vem da China e índia, porém, que no mês de novembro de 2019 foi pago por 1 Kg do produto o valor de R$ 105. Já na segunda quinzena do mês de junho deste ano, a mesma quantidade do produto foi comprada pelo valor de R$3,4 mil, um aumento de mais de 3000% no preço.

A responsável pelo estabelecimento informou que devido a pandemia, a matéria prime de alguns medicamentos subiram muito os preços, assim como a hidroxicloroquina, que teve um preço ainda maior que da ivermectina. Segundo o delegado da Decon, Rogério Ferreira, devido as informações repassadas pela imprensa nos últimos dias, de que profissionais da saúde têm recomendado o uso do medicamento ivermectina e de hidroxicloroquina para o tratamento da Covid-19, e até mesmo para prevenção, aumentou a procura pelo medicamento. Diante disso, a Polícia Civil e o Procon estão realizando fiscalizações para coibir e reprimir eventuais práticas de aumentos abusivos de preços ao consumidor.

 

Comentários Facebook
publicidade

Policial

Polícia Civil em Barra do Bugres cria espaço para atendimento a vítimas de violência

Publicado


.

Assessoria/Polícia Civil-MT

 

A Delegacia da Polícia Civil em Barra do Bugres (168 km a médio-norte de Cuiabá) inaugurou nesta semana, em Homenagem aos 14 anos da Lei Maria da Penha uma sala exclusiva para atendimento à mulher.

A criação do novo espaço foi possível por meio de parcerias da unidade policial e o município, com o objetivo de atender de forma adequada mulheres vítimas de violência doméstica.

Ao chegar à delegacia, a vítima já recebe pronto atendimento no espaço reservado e privativo, para o registro de ocorrências, realização de oitivas, bem como o pedido de medidas protetivas e demais ações que fazem parte da Lei Maria da Penha.

O delegado de Barra do Bugres, Renato Resende, pontua que a mulher que passa por um momento de fragilidade não pode estar exposta ao movimento diário da delegacia. “A estratégia da sala é uma busca da Polícia Civil no enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher. Acrescenta-se que a sala se destina, também, ao atendimento de crianças e adolescentes, vítimas de abuso sexual. Por isso, essa sala reservada incentiva as vítimas a procurarem ajuda”.

A delegacia conta com profissionais qualificados e treinados para lidar com os casos envolvendo violência doméstica. O espaço é equipado com ar-condicionado, computador para oferecer mais conforto às vítimas. “Com essa estrutura prestamos o serviço de forma mais humanizada, sobretudo em um momento grave decorrente da pandemia, que estamos passando”, acrescentou o delegado. 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas