conecte-se conosco


Política Nacional

Pedido de investigação de Deltan feito pelo PT é negado no STF

Publicado

Procurador Deltan Dallagnol falando ao microfone arrow-options
Marcelo Camargo/ABr

Pedido contra Deltan foi negado pelo ministro Celso de Mello

Um pedido de investigação do procurador Deltan Dallagnol , chefe da Operação Lava Jato no Paraná, feito pelo PT foi negado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello . Assinado pelo deputado Paulo Pimenta , o documento pedia que Dallagnol fosse investigado por abuso de poder, fraude processual, prevaricação, organização criminosa e atos de improbidade administrativa.

A decisão ainda não foi divulgada na íntegra, mas a justificativa para o arquivamento da ação, de acordo com o jornal O Estado de São Paulo , é que “que o autor do pedido não usou a via cabível”.

Leia também: Dallagnol recusa hipótese de promoção para continuar na Lava-Jato

As suspeitas contra Dallagnol começaram a surgir após o início das publicações das reportagens da Vaza Jato pelo site The Intercept Brasil . De acordo com as mensagens privadas que o site teve acesso, ele e outros procuradores tiveram condutas ilegais ao se comunicarem por outro meio que não os autos oficiais e ainda contaram com a ajuda do então juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, para a obtenção de provas e organização do calendário de forças-tarefas.

Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Deputado do PSL quer que grupos antifascistas sejam considerados terroristas

Publicado


source
Daniel Silveira
Agência Câmara

Daniel Silveira ficou conhecido em 2018 por quebrar uma placa que homenageava a vereadora Marielle Franco

O deputado Daniel Sivleira (PSL-RJ) deseja que os movimentos e grupos antifascistas, que foram responsáveis pelos atos do último final de semana, sejam considerados como grupos terroristas. Para isso, o parlamentar apresentou uma proposta de mudança da Lei Antiterrorista .

Leia também: Eduardo Bolsonaro irá à PF fazer boletim de ocorrência e deixar celular

Na proposta de alteração, Silveira acrescenta um pequeno trecho à lei 13.260 de 16 de março de 2016. O excerto diz: “Considera-se organização terrorista os grupos denominados antifas ( antifascistas ) e demais organizações com ideologias similares”.

O projeto foi apresentado um dia após os atos antifascistas que criticaram o governo de Jair Bolsonaro . O próprio presidente já chamou os movimentos antifascistas de terroristas, usando, para isso, uma publicação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Daniel Silveira ficou conhecido em 2018 por quebrar uma placa de rua que homenageava a vereadora Marielle Franco , assassinada em março daquele ano.

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas