conecte-se conosco


Política MT

Interação social e postura diante de crises são temas discutidos em roda de conversa que marca o Janeiro Branco

Publicado

Foto: Ronaldo Mazza

Conversar sobre a qualidade das interações sociais, as responsabilidades e as atitudes que contribuem para melhorar a qualidade da saúde mental e emocional é um dos propósitos da roda de conversa que a Assembleia Legislativa, por meio da Supervisão de Saúde e Qualidade de Vida (Qualivida), promoverá no próximo dia 28. A ação faz parte da campanha Janeiro Branco, que visa à conscientização sobre a importância dos cuidados com a saúde mental para qualidade de vida. “O convite é aberto a todos os servidores. Não precisa fazer inscrição para participar”, explica o psicólogo Raul Bruno Tibaldi, um dos coordenadores da atividade.

“A saúde mental envolve questões multifatoriais, mas a forma como estabelecemos as relações de convívio com outras pessoas são fatores preponderantes para manter o equilíbrio das emoções. Daí a importância de conversar sobre isso no ambiente de trabalho e  de se buscar mecanismos de como aperfeiçoá-las em prol da saúde emocional”, destaca o psicólogo.

Segundo Raul, a iniciativa visa promover um ambiente de troca de ideias entre as pessoas sobre os desafios das interações sociais, das posturas que contribuem para superar dificuldades e dos cuidados individuais com emoções e sentimentos, para uma melhor qualidade da saúde mental e emocional.

Campanha Janeiro Branco – Surgiu em 2014 por iniciativa de psicólogos de Uberlândia (MG). O objetivo é a conscientização da promoção e proteção da saúde mental. Ela busca chamar atenção para que as pessoas busquem refletir sobre a qualidade dos seus relacionamentos e o quanto elas conhecem sobre si mesmas e sobre suas emoções, seus pensamentos e seus comportamentos.

Os idealizadores da campanha perceberam um movimento da maior parte da população em relação às expectativas e aos desejos de uma boa saúde e bem-estar que surgem com a chegada de um novo ano. Dessa forma, o mês de janeiro foi pensado estrategicamente para que seja o pontapé inicial para fortalecer esses cuidados, através de esclarecimentos e conscientização da promoção de bem-estar físico, social e mental e prevenção às doenças mentais. (Fonte: site janeirobranco.com.br)

Comentários Facebook
publicidade

Política MT

Dr. Eugênio lamenta a perda do líder indígena Aritana Yawalapiti

Publicado


.

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

“É uma perda dolorida, irreparável, eu perdi um grande amigo”. É assim que médico e deputado estadual Dr. Eugênio Paiva (PSB) define a morte do líder indígena do Alto Xingu, Aritana Yawalapiti, de 71 anos, que morreu vítima da Covid-19 na quarta-feira (5), em Goiânia (GO). 

Dr. Eugênio lembra que entre os anos de 1999 e 2002, trabalhou como médico no Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) do Xingu, em Canarana e que foi lá que conheceu Aritana.

Durante esses anos tive uma convivência muito próxima com ele, eu como médico e ele como líder, sempre em busca de melhorias para seu povo. “Graças ao Aritana consegui entender melhor o que é a cultura indígena, e também o quanto isso representa para todos, em especial nós que moramos na região do Araguaia e do Xingu”, destaca o parlamentar. 

Dr. Eugênio lembrou que Aritana Yawalapiti sempre foi parceiro na busca por melhorias da saúde indígena, e que, inclusive, no ano passado, então já como deputado estadual, os dois ajustaram situações para o setor da saúde durante o Congresso de Saúde Indígena, realizado em Canarana.

“Aritana era um cara firme e sensato, acima de tudo um grande homem como pessoa, além de ser uma grande liderança com muita personalidade. O que nos resta deseja é que ele descanse em paz e que fiquem as boas lembranças deste grande amigo que muito fez por seu povo”, finalizou o deputado.

Cacique desde os 19 anos, ele era um dos mais antigos e respeitados líderes da região. Aritana Yawalapiti era reconhecido por lutar pela defesa dos povos indígenas, principalmente pela preservação das terras já conquistadas.

Aritana estava em casa com a família quando começou a sentir os primeiros sintomas. O líder fez o teste para Covid-19, que acusou que ele estava infectado. No dia 19 de julho, ele foi internado em um hospital de Canarana, com a piora no estado de saúde, ele foi transferido para uma UTI em Goiânia, onde faleceu nea quarta feira.

Fonte: ALMT

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas