Connect with us

Na Capital

Há 30 anos no transporte público, motorista explica aprovação do serviço por 72% dos usuários

Publicado em

Há 30 anos no transporte público motorista explica aprovação do serviço por 72% dos usuários

Levantamento feito pela Consulting do Brasil leva em consideração tratamento dado pelos profissionais e critérios como prudência ao dirigir

Quando deu início à carreira no transporte público, em 1986, o motorista Valdir Batista, 47, se deparou com um cenário muito diferente do que observa hoje. Junto a centenas de passageiros viu a pressa e uma série de conflitos darem lugar a amistosidade e bom atendimento. Condutas que vêm sendo incentivadas entre todos os profissionais e que resultam em aprovação de 72,91% dos usuários do transporte público na Capital, segundo A Pesquisa de Opinião da empresa Consulting do Brasil.

O levantamento, encomendado pela Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec), mostra que, deste total, o tratamento dado pelos motoristas foi apontado como ótimo por 9,27% dos entrevistados, e bom por outros 63,64%. “É uma melhora que percebemos no dia a dia. Antes era uma situação meio conturbada e não tinha tanta preocupação com essa relação como temos agora”, diz Valdir.

Tal mudança, segundo o diretor de Transporte da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), Nicolau Budid, é atribuída a investimentos em cursos e palestras voltados ao setor. Sendo assim, a capacitação é apontada por ele como palavra chave para a obtenção de resultados, uma vez que, a mesma pesquisa mostra que 89,01% dos usuários considera que os condutores são prudentes ao dirigir. Desta porcentagem, 5,76% classifica os profissionais como imprudentes e 5,23% não soube avaliar.

Nicolau explica que o levantamento é realizado anualmente desde 2016 e que seus resultados ajudam a nortear as ações para o setor. “O efeito desse trabalho pode ser constatado facilmente. Esta não é a primeira vez que alcançamos bons índices neste quesito da pesquisa, o que nos deixa muito satisfeitos e estimula a busca por outras melhoras. Sabemos que o transporte público é estigmatizado e que há pontos a serem melhorados, mas isso mostra que estamos no caminho.”

À frente da linha 301, que liga o Jardim Vitória ao Centro da Capital, Valdir se depara diariamente com rostos e histórias que o motivam a prestar o bom serviço. “Comecei como cobrador, depois motorista de micro-ônibus e em 2010 fui contratado pela Pantanal Transportes, onde estou até hoje. Durante esse tempo sempre procurei conversar e aprender com as pessoas que conheço pelo caminho. É assim que a gente cresce como profissional e como pessoa também.”

Em sua avaliação este processo também tem relação com a postura da população frente à melhoras no serviço oferecido. “Quando houve uma alteração na lei de gratuidade para os idosos, que precisam apresentar a identidade aos motoristas achamos que haveria desentendimentos, mas foi tudo tranquilo. É claro que nem todo dia é perfeito. Sempre vai ter uma coisinha pra resolver, mas sentimos que essa facilidade na convivência tem aumentado.”

Com relação ao atendimento dos funcionários, 44,97% considera bom ou ótimo, enquanto 29,27% regular, 8,21% ruim, 4,11% péssimo e 13,44% não soube opinar. A Pesquisa de Opinião foi realizada entre 09 e 19 de julho de 2018, por meio de entrevistas presenciais com 1.509 pessoas, em 32 linhas de ônibus diferentes. Os passageiros foram ouvidos dentro dos veículos e por diferentes pontos de ônibus na Capital.

 

Comentários Facebook
Advertisement

Na Capital

Cuiabá confirma mais dois casos de Monkeypox

Published

on

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, informa:

– Mais dois casos de Monkeypox (Varíola dos Macacos) foram confirmados em Cuiabá; 

– Os dois casos em investigação são referentes a homens, um de 26 e o outro de 44 anos, ambos sem histórico de viagens; 

– Os dois pacientes já foram informados e estão em isolamento domiciliar; 

– Diariamente, a equipe de Vigilância monitora os pacientes, sempre em acordo com as medidas de biossegurança para evitar o possível contágio; 

– Os dois pacientes suspeitos apresentam lesões características da doença, mas sem nenhuma complexidade;

– Os dois indivíduos irão permanecer em isolamento até o desaparecimento completo das lesões (cerca de 2 a 3 semanas, ou até 21 dias).

Fonte: Prefeitura de Cuiabá MT

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas