conecte-se conosco


Política Nacional

Governo Bolsonaro escala militar para coordenar redes sociais após polêmicas

Publicado


Jair Bolsonaro nega as informações sobre a contração de coronel e os motivos
Alan Santos/PR – 19.2.19

Jair Bolsonaro nega as informações sobre a contração de coronel e os motivos

O governo do presidente Jair Bolsonaro escalou um militar para coordenar a estrutura de mídias digitais e reforçar a comunicação oficial do Palácio do Planalto. De acordo com o jornal Folha de S.Paulo , a nova estrutura, chamada Comunicação Global, será comandada pelo ex-chefe da assessoria de imprensa do Exército, o coronel Didio Pereira de Campos.

A Comunicação Global ficará responsável pelo monitoramento das redes sociais, publicidade oficial e criação de conteúdo. A indicação  de Campos foi feita pela equipe do ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Santos Cruz e, segundo o jornal, ocorreu após um diagnóstico da equipe do presidente, sobretudo do núcleo militar, de que a comunicação oficial precisava ser melhorada diante das últimas polêmicas . Jair Bolsonaro , no entanto, nega as informações.

O coronel é descrito como um militar de perfil moderado e técnico. Apesar de sua suposta entrada na equipe de comunicação, a estrutura geral continuará a ser chefiada por Floriano Amorim, indicado para o posto por Carlos Bolsonaro, que blindou as contas oficiais do pai.

Leia mais:  Advogado de filho de Flordelis diz que arma pode ter sido plantada por policiais

Na semana passada, Bolsonaro compartilhou vídeo, filmado durante o Carnaval.  As imagens mostram dois homens dançando em cima de um ponto de táxi, em um bloco de rua no Carnaval de São Paulo. Em um dado momento, um dos foliões coloca o dedo no próprio ânus. Mais tarde, esse mesmo homem se abaixa para o outro urinar na sua cabeça.

“Não me sinto confortável em mostrar, mas temos que expor a verdade para a população ter conhecimento e sempre tomar suas prioridades. É isto que tem virado muitos blocos de rua no Carnaval brasileiro. Comentem e tirem suas conslusões (sic)”, escreveu o presidente. A publicação foi feita ontem às 15h08 e o vídeo foi gravado no desfile do Blocu, em São Paulo, na última segunda-feira (4).

As imagens  chocaram tanto os apoiadores de Bolsonaro quanto aqueles que se declaram como oposição ao governo. Isso porque o Twitter do presidente possui mais de 3,45 milhões de seguidores, incluindo menores de idade, e a publicação pode ser vista sem restrições.

Neste domingo (10), ele divulgou relato deturpado contra uma repórter. O presidente publicou uma mensagem sobre uma repórter do jornal O Estado de S.Paulo , acompanhada por um vídeo, em que acusa a jornalista de ter falado que possui a “intenção de arruinar Flávio Bolsonaro e o governo”. As aspas seriam em relação à cobertura jornalística a respeito das movimentações suspeitas da Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador e filho do presidente .

Leia mais:  Bolsonaro interrompe agenda para visitar general Villas Bôas em casa

O vídeo, no entanto, é uma edição e contém fake news , ou seja, conteúdo falso. A suposta declaração da repórter, que aparece entre aspas no título do vídeo, teria sido dada, segundo “denúncia” de um jornalista francês, em uma conversa gravada. Na gravação do diálogo, porém, a jornalista não fala em momento algum sobre tal “intenção”.

Leia também: EUA, Japão, China… Bolsonaro terá intensa agenda de viagens a partir de março

Ontem, Jair Bolsonaro insuflou seus seguidores contra a imprensa compartilhando o conteúdo falso. “Constança Rezende, do O Estado de SP diz querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro e buscar o Impeachment do Presidente Jair Bolsonaro. Ela é filha de Chico Otavio, profissional do O Globo . Querem derrubar o Governo, com chantagens, desinformações e vazamentos”, escreveu ele no Twitter.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Damares: “Canal vaginal de menina de 12 anos não está pronto para ser possuído”

Publicado

por

source

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, que defende a abstinência sexual para prevenir gravidez precoce na adolescência, disse ao jornal Folha de São Paulo que se silencia caso fique provado que uma menina de 12 anos está pronta para ser possuída todo dia por um homem. 

Leia também: Campanha do governo federal pela abstinência sexual começa em fevereiro

Damares Alves arrow-options
Divulgação/Presidência da República

Damares Alves


Leia também: Damares critica ataques a filho de Thammy e repara: “ele está de azul” 

A ministra Damares Alves, que é pastora e evangélica, sustenta que não mistura assuntos de Estado e religião.  O governo está lançando uma nova campanha estimulando o início do prorrogamento da vida sexual do público de 10 a 18 anos para evitar a gravidez na adolescência. 

“O argumento que eu estou buscando é: uma menina de 12 anos não está pronta para ser possuída. Se vocês me provarem, cientificamente, que o canal de vagina de uma menina de 12 anos está pronto para ser possuído todo dia por um homem, eu paro agora de falar”,  afirmou à coluna Painel.

Leia mais:  Bolsonaro vence em 15 estados e no Distrito Federal, Haddad em 11

Leia também: ‘Acredito em príncipe encantado’, diz Damares Alves sobre busca por marido

A ministra Damares Alves ainda disse que, se levarem “um abaixo-assinado com 1 milhão de assinaturas de pais de adolescentes contra a proposta”, ela “para de falar”.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas