Connect with us

Economia

Ex-vendedor de calça jeans fatura R$8 milhões com rede de hamburgueria artesanal

Publicado em

O hobby de Tiago Stabile, 38, de fazer hamburger em casa para os amigos, virou  rede
de sucesso no interior de São Paulo. Após trabalhar anos como vendedor de calça jeans, foi na cozinha que ele achou sua verdadeira paixão. Depois de algumas viagens pesquisando no exterior, a Tico’s Burger, lanchonete estilo americano que leva o apelido do dono, abriu sua primeira  hamburgueria
em 2014.

Hoje, as quatro  lojas
 da rede
são divididas em três cidades: Birigui, Araçatuba e Bauru são responsáveis por um  faturamento
de quase R$ 8 milhões em 2017 e o emprego de mais de 35 funcionários.

História da rede


Ex-vendedor de calça jeans fatura R$8 milhões com rede de hamburgueria artesanal
Divulgação

Ex-vendedor de calça jeans fatura R$8 milhões com rede de hamburgueria artesanal

Nascida em 2014, a lanchonete se destaca pelo variado menu e hambúrgueres artesanais. São cerca de 7 tipos de recheios para os lanches da rede
, que vão desde o carnes selecionadas até frango, salmão e versão vegetariana, além das opções low carbo e fit.

Hamburger, pães e molhos próprios são produzidos na unidade industrial das casas. “Sempre buscamos essa qualidade para nos diferenciar em um mercado que cresceu muito. Produzimos em nossa central os ingredientes para os lanches e não usamos conservantes. Com isso, fidelizamos um público que gosta de hamburger e procura algo a mais no lanche, não sendo o mesmo consumidor de fast foods, por exemplo”, explica Tiago.

Em seu salão os clientes entram em um ambiente aconchegante e climatizado e são servidos a La carte com o auxílio de garçons. E vale mesmo a ajuda, pois o cardápio também oferece entradas, saladas, omeletes, hot-dogs, sobremesas, milk shakes, sucos naturais, refrigerantes, chopp e uma carta de cervejas especiais.

“Até o final do ano estaremos com duas unidades da rede
na capital, uma em Santo André e outra no Itaim Bibi. Com essas inaugurações acreditamos que seja o ponta pé inicial de uma vasta expansão
 para todo o estado, além do aumento no faturamento da rede” comenta Tiago Stabile. Para o ano de 2019 a rede pretende atingir R$10 milhões em faturamento.

Comentários Facebook
Advertisement

Economia

Bolsonaro veta reajuste salarial para PF, PRF e Abin na LDO 2023

Published

on

Bolsonaro disse que já enviou a recomposição salarial no projeto
PRF-BA/Divulgação

Bolsonaro disse que já enviou a recomposição salarial no projeto

Entre os 36 vetos do presidente Jair Bolsonaro na sanção da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2023, foram barrados os artigos que previam reajustes a policiais e servidores da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). A decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (dia 10) do Diário Oficial da União.

Apesar de ter mantido a reserva ao orçamento secreto, que deve consumir cerca de R$ 19 bilhões no ano que vem, o presidente vetou os itens que previam restruturação e recomposição salarial de integrantes das polícias Federal, Rodoviária Federal e Civil do Distrito Federal, além dos policiais penais federal, estaduais e distrital e os servidores da Abin.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

No texto, Bolsonaro justificou que as proposições já foram contempladas na proposta original enviada pelo governo federal.

“As disposições contrariam o interesse público, pois criariam, no ordenamento jurídico, desnecessária assimetria de tratamento entre as carreiras dos órgãos e entidades que compõem a administração pública federal. Esse fato provocaria desequilíbrio entre os órgãos responsáveis pela gestão das carreiras e prejudicaria o desempenho do Poder Executivo federal na atuação integrada e harmônica entre as diversas áreas de atuação governamental e do Estado brasileiro”, diz o texto.

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas