Connect with us

Mato Grosso

Estudantes apresentam projetos em 10ª Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação

Publicado em

Projetos voltados para preservação ambiental, inovação tecnológica, saúde e bem-estar da sociedade, desenvolvidos por estudantes da rede pública e privada de Mato Grosso estão expostos na 10ª edição da Mostra Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação.

O evento faz parte da 15ª Semana Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI), realizada pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secitec) e aberta ao público nesta terça-feira (17.10), na Arena Pantanal, em Cuiabá. 

Entre os trabalhos expostos na mostra está o Carregador Público para Celulares, desenvolvido pelos estudantes do 3° ano H, da Escola Estadual Liceu Cuiabano. O equipamento surgiu de uma ideia dos alunos que perceberam a grande procura por fontes de energia, para recarregar baterias de dispositivos móveis e também a proibição do uso das tomadas da unidade escolar para fins pessoais. 

“Pensamos em criar um poste utilizando a energia solar. No protótipo instalamos uma placa fotovoltaica de 12 volts, com uma torre de tomadas e instalamos próximo a biblioteca, onde o equipamento opera com melhor qualidade”, explicou o estudante Luan Fabricio Correia de Souza, um dos 38 alunos idealizados do projeto. 

Os alunos levaram dois meses na criação e instalação do carregador, que também leva uma bateria estacionária para manter o equipamento funcionando no período noturno, atendendo todos os estudantes da escola. 

Segundo a coordenadora de projetos da escola, Edenilzes Vaillant, o trabalho dos estudantes merece nota mil. “É uma grande satisfação participar da exposição com este e mais outros dois projetos. Toda a escola está feliz com o resultado alcançado pelos alunos”, ressaltou.  

Já o estudante do curso de informática, da Escola Técnica de Alta Floresta, Daniel Fagundes dos Santos, criou o Sistema Automático de Irrigação, para facilitar o trabalho dos pais na plantação de laranja, limão e mexerica. 

“O equipamento faz o monitoramento automático da úmida do solo, ativando o sistema de irrigação assim que necessário. Além disso, fiscaliza a possibilidade de chuva e a luminosidade e temperatura do ambiente, disponibilizando todos esses dados pela internet”, disse o jovem. 

Para construir o protótipo, Daniel investiu R$150 e levou cinco meses para concluir o sistema, que já está em teste no sítio onde mora. “Estou orgulho com o resultado, porque criei um equipamento para ajudar a minha família e colaborar na preservação ambiental, ajudando a economizar água”, destacou. 

Outro projeto da feira veio do município de Campo Verde. Os relatos de um amigo cadeirante que se sentia infeliz devido suas limitações, principalmente dentro de casa, motivaram o estudante Samuel Guizzo, a se reunir com outros colegas da Escola Estadual Alice Barbosa Pacheco, localizada na zona rural da cidade e desenvolver o Varal Utilitário.

“O varal é um mecanismo criado para ajudar cadeirantes e pessoas com nanismo nas realizações de tarefas domésticas mais comuns”, disse Guizzo. 

O equipamento foi desenvolvido em 2016 e vem sendo aperfeiçoado até hoje, segundo o estudante. “Neste ano, o varal recebeu um motor elétrico, permitindo baixar a grade para estender as roupas até a altura que o cadeirante ou o anão desejar”, destacou Samuel, completando que o Varal foi recebido pelo amigo cadeirante como muita felicidade.

A superintendente de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, da Secitec, Lecticia Figueiredo, explicou que a Mostra tem 53 projetos inscritos, representando 40 municípios. 

“Realizar a décima edição da Mostra é uma conquista para a ciência em Mato Grosso. Todos os anos as escolas já esperam e se organizam para realizar suas feiras e projetos para concorrer e vir à Semana Nacional. Em uma época em que os investimentos estão escassos é crucial, cada vez mais, incentivar a criação de projetos, e garantir que as escolas possam trabalhar a pesquisa científica como alternativa até mesmo para as desigualdades sociais”, destaca Lectícia, que coordena a semana.

Comentários Facebook
Advertisement

Mato Grosso

Supostos organizadores do Dia do Fogo são alvos de operação em Colniza

Published

on

Sete mandados de buscas e apreensão, expedidos pelo Poder Judiciário em Colniza, município distante 1.042 km de Cuiabá, estão sendo cumpridos neste sábado (13), na Operação Jomeri. Os alvos são pessoas físicas e jurídicas responsáveis, em tese, pela organização da ação criminosa conhecida como “Dia do Fogo”.

A Operação é um desdobramento da ação fiscalizatória realizada no dia 05 de agosto. A iniciativa é desenvolvida de forma conjunta pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco Ambiental), Promotoria de Justiça de Colniza, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), Delegacia Regional de Juína, Delegacia Municipal de Colniza, Grupo de Operações Especiais (GOE), Batalhão de Proteção Ambiental da Polícia Militar e Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema).

De acordo com as investigações, um grupo de indivíduos estaria se organizando para provocar, de forma coordenada, queimadas em áreas de floresta nativa em vários pontos da região de Colniza. O modo de agir seria o mesmo utilizado há três anos, no Estado do Pará, quando a fumaça gerada por queimadas criminosas percorreu milhares de quilômetros pelo território brasileiro.

A área total das propriedades investigadas ultrapassa 300 mil hectares, dos quais já se constatou um desmatamento de 50 mil hectares. Os envolvidos na ação poderão responder pelos crimes de associação criminosa, desmatamento e queima Ilegal, crime contra a administração ambiental, dentre outros. A investigação teve início no ano de 2021.

Além das medidas de busca e apreensão, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso instaurou dezenas de procedimentos de natureza cível, buscando a reparação socioambiental pela degradação já ocorrida. O valor total das indenizações é de R$ 421.731.922,05.

Desde a notícia de que ocupantes de uma das fazendas da região promoveriam incêndio criminoso na área, a Sema, por meio da Superintendência de Fiscalização e o Núcleo de Inteligência, Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental e Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros Militar, posicionaram suas equipes na área de forma ostensiva a prevenir e impedir a ação dos infratores, bem como identificar as pessoas ligadas à incitação lesiva ao meio ambiente. Já foram lavrados 18 autos de infração pela prática de desmate ilegal, que correspondem a 50% do desmate para o município de Colniza.

De 08 a 12 de agosto, o Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental aplicou em quatro pontos da região multas de R$ 200 mil por quebra de embargo e de R$ 450 mil desmate ilegal, totalizando R$ 650 mil. Ao todo, foram fiscalizados oito alertas.

Em Mato Grosso, o uso do fogo está proibido desde o dia 1º de julho e a vedação segue até o dia 30 de outubro.

SIGNIFICADO – A denominação da operação faz referência ao nome do antigo psicólogo que estudou sobre o problema da piromania (caracterizada por atear fogo de forma intencional e compulsivamente) e deu origem a todos os recentes estudos e tratamentos sobre citada síndrome.

Fonte: MP MT

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas