conecte-se conosco


Entretenimento

Em post antigo, Manu Gavassi afirma que nunca participaria do “BBB”

Publicado

Como diz aquele ditado… Nunca diga dessa água não bebereis, pois vai que bebereis, né?! Depois do anúncio da participação de Manu Gavassi no “BBB 20”, alguns internautas acharam alguns tweets antigos da cantora falando que “Nunca. Nunca. Nunca” participaria do reality.

Leia também: Afinal, o quão famosos são os participantes camarote do BBB20?

Manu Gavassi arrow-options
TV Globo/Divulgação

Manu Gavassi


Leia também: Esquenta “BBB”: Relembre os casais que não aguentaram e esquentaram o edredom

Ao longo dos últimos 11 anos, a atriz chegou a dizer que era uma espectadora assídua do ” BBB ” e tempos depois apenas baniu o programa de sua vida.

Leia também: Esquenta “BBB”: relembre os participantes mais odiados do reality show

Agora ao que tudo indica a relação da cantora com o reality da Globo está mais forte do que nunca.

Confira alguns dos tweets de Manu Gavassi sobre o ” BBB “:




















Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Paulo Ricardo deve pagar R$ 390 mil após perder ação trabalhista

Publicado


source

Após Paulo Ricardo perder um processo, a Justiça ordenou a penhora de R$ 390 mil em direitos autorais. A ação teve início em 2010, quando o tecladista João Eugenio Marques entrou com processo trabalhista contra a empresa do cantor, a PRMusic. O músico queria ter o seu trabalho reconhecido como CLT, com direito a todos os direitos e benefícios previstos por lei.

Paulo Ricardo
Reprodução/Instagram

Paulo Ricardo deve pagar R$ 390 mil à ex-tecladista

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, o juiz Renato Sabino Filho, da 6ª Vara do Trabalho, reconheceu o vínculo de trabalho do tecladista com a empresa. Ficou determinado que a RPMusic deveria pagar R$ 50 mil ao músico, que trabalhou com Paulo Ricardo de 2006 a 2010, quando o artista seguia carreira solo.

A empresa do vocalista do RPM recorreu à decisão. Em segunda instância, a decisão foi mantida no ano de 2016. O cantor tentou um acordo com o tecladista, mas não houve um consenso e, com os juros e correções, o valor subiu para R$ 390 mil. Como não foram encontrados ativos em nome da empresa para pagar a dívida, a Justiça determinou que Paulo Ricardo respondesse ao processo, por isso a penhora dos direitos autorais. 

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas