Connect with us

Economia

Eletrobras deve liquidar Amazonas Energia caso leilão de privatização fracasse

Publicado em


Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras, anunciou possibilidade de liquidação da distribuidora Amazonas Energia
Valter Campanato/Agência Brasil

Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras, anunciou possibilidade de liquidação da distribuidora Amazonas Energia

O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior, anunciou, na quinta-feira (18), a possibilidade de liquidação de uma das distribuidoras de energia da estatal, a Amazonas Energia.

A declaração aconteceu depois da decisão do ministro Moreira Franco de manter o leilão da Amazonas Energia
, marcado para o próximo dia 25. A possibilidade de cancelamento do evento aconteceu depois de o Senado rejeitar, na terça-feira (16), por 34 votos a 18, o projeto que previa a privatização da Eletrobras
, facilitando as vendas de suas distribuidoras.

Entre as distribuidoras da estatal, a Amazonas Energia é considerada a mais endividada. De acordo com Ferreira Júnior, as contas a pagar alcançam a casa de R$ 20 bilhões, dos quais cerca de R$ 15 bilhões são para a Petrobras.

O tamanho das dívidas põe em dúvida a possibilidade de venda durante o leilão de privatização. Por isso, o presidente deve manter a possibilidade de liquidação, ou seja, o encerramento das atividades da distribuidora. “A decisão pela liquidação já foi tomada em assembleias anteriores”, explica. “E, em caso de liquidação, a Eletrobras
terá garantida a neutralidade econômica das despesas com a Amazonas Energia.”

Amazonas Energia é uma das duas últimas distribuidoras que serão leiloadas


Eletrobras já leiloou quatro de suas seis distribuidoras; Amazonas Energia terá leilão no próximo dia 25
Agência Brasil

Eletrobras já leiloou quatro de suas seis distribuidoras; Amazonas Energia terá leilão no próximo dia 25

Das seis distribuidoras da estatal, quatro já foram leiloadas: a Companhia Energética do Piauí (Cepisa), que teve o contrato de concessão assinado ontem (18), depois de ter sido vendida em julho; a Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), a Boa Vista Energia, de Roraima, e a Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron) foram leiloadas em agosto. A Companhia Energética de Alagoas (Ceal) está com a venda suspensa por uma liminar do Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia também: Maioria das privatizações previstas por Temer não sairá do papel neste ano 

Entre as duas que ainda não foram privatizadas
, no entanto, também já não há mais concessão: elas estão operando em caráter temporário até 31 de dezembro deste ano. Ferreira Júnior afirma que, após a data, “não tem mais o que fazer.”

Pensando em um eventual fracasso do leilão da Amazonas Energia, marcado para dia 25, e empresa está buscando alternativas. Segundo Ferreira Júnior, a Eletrobras poderia aceitar continuar prestando serviços até um novo leilão se o governo garantir a neutralidade integral de todas as despesas da companhia com o serviço. “Essa não é uma decisão minha, mas se o governo propuser alguma coisa e for melhor do que a que tem hoje, em termos de neutralidade, a companhia vai avaliar”, explicou.

Leia também: Eletrobras cai mais de 10% após declaração de Bolsonaro contra privatização

No entanto, se o caminho for mesmo pela liquidação da Amazonas Energia
, o presidente da estatal ressaltou que a empresa terá dois meses para definir os processos de desligamento dos funcionários, negociação de dívidas e outras decisões. “Temos que nos preparar para isso, mas respeitados os acordos coletivos [com os empregados]”, afirmou.

Comentários Facebook
Advertisement

Economia

E-commerce cresce e movimenta R$ 163 milhões no Dia dos Pais

Published

on

E-commerce cresceu no feriado dos Dias dos Pais
Creative Commons/Pixabay

E-commerce cresceu no feriado dos Dias dos Pais

Os dados levantados pela Nuvemshop, plataforma de e-commerce latina, mostra que pequenas e médias empresas faturaram R$ 163 milhões com as vendas online no Dia dos Pais deste ano, 21% a mais comparado ao mesmo período do ano passado. Além do aumento do lucro, foi registrado um crescimento de 11% nas vendas digitais. 

Os segmentos de moda, acessórios e saúde e beleza foram os mais bem sucedidos durante o período. Em específico, a seção de acessórios ganhou destaque, com crescimento de 54% em relação a 2021, subindo para a segunda posição no ranking.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Foram constatados aproximadamente 653 mil pedidos realizados durante as três semanas analisadas, com preço médio de R$ 250, elevação de 11% em relação ao número de pedidos e 10% de alta no valor médio em cada compra online em relação ao ano anterior. 

Os lojistas do estado de São Paulo foram os que mais faturaram com o feriado, ficando na casa dos R$ 77 milhões. Os estados de Minas Gerais, com R$ 19 milhões, e o Rio de Janeiro, com R$ 14,6 milhões, emplacam, respectivamente, segundo e terceiro lugares. Ceará registrou R$ 9 milhões e Santa Catarina R$ 8,3 milhões. 

Luiz Natal, gerente de Desenvolvimento de Plataforma da Nuvemshop, explica como feriados específicos afetam positivamente o mercado: “As datas comemorativas aquecem o varejo e os lojistas têm a oportunidade de aumentar o faturamento via e-commerce ano após ano, uma vez que os consumidores estão cada vez mais adaptados a comprar digitalmente. O Dia dos Pais é uma das datas mais importantes para os lojistas online.” 

A pesquisa utilizou dados que constam as vendas realizadas na semana do Dia dos Pais e as duas anteriores de 2021 e 2022.

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas