conecte-se conosco


Tecnologia

China exige escaneamento facial para compra de linha de celular e gera polêmica

Publicado

source
china arrow-options
shutterstock

China exige a coleta de reconhecimento facial para compra de linhas de celular


A partir do último domingo (01), todos os chineses que quiserem contratar um serviço com operadoras de telefonia móvel terão que entregar, além da cópia do documento de identificação, o escaneamento de suas faces . A medida, defendida por Pequim como uma forma de reforçar a segurança , é alvo de críticas em relação à privacidade e aumenta os questionamentos sobre as políticas de vigilância do Estado.

A nova regra foi anunciada em setembro, pelo Ministério da Indústria e da Tecnologia da Informação, mas entrou em vigor apenas neste 1º de dezembro. Até então, novos contratos com operadoras exigiam apenas a apresentação de uma cópia da carteira de identidade. Com o escaneamento facial , as operadoras poderão garantir que o contratante é realmente o portador da identidade apresentada.

Leia também: EUA pressionam Brasil para vetar entrada da Huawei no mercado do 5G

O governo justifica a medida como uma forma de “proteger os direitos e interesses legítimos dos cidadãos no ciberespaço”. Dessa forma, segundo o governo, será possível conter a revenda de cartões SIM e proteger o direito de pessoas que perderam ou tiveram suas carteiras de identidade roubadas, documentos que poderiam ser usados por terceiros para cometer fraudes em seus nomes.

Leia mais:  Hackers conseguem alterar mensagens no WhatsApp, diz empresa de segurança

Para o professor de Direito na Universidade Tsinghua, Lao Dongyan, uma das preocupações com o novo regulamento é a ausência de leis sobre o uso de tecnologias de reconhecimento facial , sobretudo no código penal. Segundo o especialista, sob as leis chinesas é obrigatório o consentimento para a coleta de dados pessoais, mas, na prática, não é isso o que acontece.

“A proteção de dados pessoais na lei criminal não é suficiente”, afirmou Lao, em entrevista ao South China Morning Post .  “Na maioria das vezes, nós não sabemos que nossos dados estão sendo coletados e o armazenamento e o uso desses dados não seguem requerimentos legais”.

Leia também: Jovens chineses só poderão jogar games online por 90 minutos diários

A falta de leis criminais foi criticada até mesmo pela imprensa estatal, a voz do governo chinês. No sábado, a emissora estatal CCTV divulgou reportagem mostrando que muitos aplicativos chineses coletam dados biométricos de rostos sem o consentimento dos usuários . A reportagem revelou, ainda, um caso de venda de dados de mais de 5 mil restreamento de faces por apenas 10 yuans cada, algo em torno de R$ 6. O jornal People’s Daily , do Partido Comunista, publicou um editorial defendendo o direito das pessoas de se negarem a fornecer escaneamentos faciais. “O mau uso de dados legalmente coletados pode ser uma grande ameaça, já que não temos regulações sobre o mau uso na lei criminal”, disse Lao.

Leia mais:  Propaganda eleitoral paga na internet deverá ser identificada para o usuário

Jeffrey Ding, que pesquisa tecnologias de inteligência artificial chinesas na Universidade Oxford, entende que as motivações do governo chinês são acabar com o anonimato na telefonia móvel e no acesso à internet , reforçar a segurança cibernética e reduzir fraudes on-line. Mas para além disso, há o interesse de rastrear a população. “Isso está conectado a um impulso muito centralizado de tentar manter o controle sobre todos, ou ao menos esta é a ambição”, afirmou Jeffrey à BBC.

Há tempos o governo chinês tenta acabar com o anonimato na internet , e o controle sobre as operadoras de telefonia móvel pode ser a melhor opção. Dos 1,4 bilhão de chineses, 829 milhões estão conectados à internet, sendo 817 milhões por mobile , quase quatro vezes o tamanho da população brasileira.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

TikTok pode se tornar mais popular que o Instagram, diz criador do Snapchat

Publicado

por

source

Olhar Digital

TikTok arrow-options
Divulgação

Tiktok pode ser mais popular que o Instagram


De acordo com Eval Spiegel, fundador e presidente da Snap , o aplicativo TikTok tem potencial para se tornar mais popular que o Instagram . Atualmente, a rede social para o compartilhamento de vídeos curtos possui mais de 500 milhões de usuários em todo o mundo – o  Instagram  possui mais de um bilhão.

A declaração de Spiegel foi dada durante a conferência Digital Life Design, em Munique, na Alemanha, enquanto ele falava sobre o Snapchat , seu aplicativo . Ele ainda disse que os usuários do TikTok são “pessoas que passaram algumas horas aprendendo uma nova dança ou pensando em uma maneira criativa e divertida de contar uma história”. O empresário disse ser fã da plataforma que, para ele, representa uma alternativa para outras redes sociais .

Leia também: TikTok: como entrar e o que fazer na rede social do momento

Para ele, o TikTok tem grandes chances de ultrapassar o sucesso do Instagram , já que, quando questionado sobre o interesse das pessoas nas redes sociais , disse que o conteúdo baseado em talento é, quase sempre, mais interessantes do que o conteúdo feito para se tornar popular – fazendo alusão a principal interação do Instagram ser o sistema de curtidas.

Leia mais:  Netflix divulga lista com séries e filmes mais vistos no mundo em 2018; confira

O ano de 2019 foi importante para o TikTok como aplicativo popular. Ele entrou para a lista dos cinco softwares mais baixados da App Store . A rede de compartilhamento de vídeos passou o Instagram em número de downloads. Atualmente, o TikTok está atrás apenas do Facebook , WhatsApp  e Facebook Messenger .

Leia também: TikTok é processado por coletar dados de crianças sem consentimento dos pais

Implementação dos Stories

Durante a conferência, Spiegel foi questionado sobre três dos cinco aplicativos com mais downloads de 2019 que implementaram certas ferramentas, inicialmente vistas no  Snapchat , como é o caso dos  Stories . “Não vemos a cópia como uma limitação ao crescimento dos nossos negócios”, declarou.

Para se destacar entre os concorrentes, o Snapchat disponibilizou novos filtros que viralizaram nas redes sociais . Isso garantiu que o aplicativo duplicasse o número de downloads diários, se tornando o oitavo app mais baixado na App Store  em 2019.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas