Connect with us

Economia

Aposentados pelo INSS sempre podem continuar trabalhando? Veja casos

Publicado em


Aposentados pelo INSS podem, em muitos casos, seguir trabalhando e recebendo o valor que lhes é garantido por lei
Creative Commons

Aposentados pelo INSS podem, em muitos casos, seguir trabalhando e recebendo o valor que lhes é garantido por lei

Muitos trabalhadores ainda têm dúvidas a respeito das condições para aposentadoria no Brasil e perdem a oportunidade de receber o valor e seguir trabalhando. Na grande maioria dos casos, os aposentados pelo INSS podem seguir trabalhando normalmente. 

Leia também: A partir de hoje, aposentadoria só poderá ser pedida por telefone ou internet

A aposentadoria por tempo de serviço é um direito devido ao homem que comprovar o total de 35 anos de contribuição, e à mulher que tiver contribuído à previdência social por 30 anos. Os  aposentados pelo INSS
 se dividem em três grandes grupos, que são os da ‘Regra 85/95 Progressiva’, os que seguem a regra de 30/35 anos de contribuição e a regra da proporcionalidade.

Na regra 85/95 progressiva, é somada a idade da pessoa com o tempo de contribuição. Para homens, a soma precisa resultar 95 ou mais para que ele tenha direito a se aposentar, enquanto para as mulheres o número cai para 85. Para efeito de carência, são exigidos 180 meses efetivamente trabalhados.

Na regra mais simples, só é exigido 35 anos de contribuição dos homens e 30 anos das mulheres. Não há idade mínima e, para efeito de carência, são exigidos 180 meses efetivamente trabalhados.

A regra proporcional foi extinta em 16/12/1998, então só tem direito quem já contribuía até esta data. Ela exige idade mínima de 53 anos para os homens e 48 anos para as mulheres e o tempo de contribuição exigido é de 30 anos + adicional e 25 anos + adicional, respectivamente. Para efeito de carência, são exigidos 180 meses efetivamente trabalhados. O adicional de tempo citado na regra transitória corresponde a 40% do tempo que faltava para o cidadão atingir o tempo mínimo da proporcional (30 anos para homem e 25 para mulher). A aposentadoria proporcional tem valor reduzido, que vai de 70 a 90% do salário de benefício.

Leia também: Aposentados que precisam de cuidador terão adicional de 25%, determina STJ

Quando os aposentados pelo INSS não podem mais trabalhar


Aposentados pelo INSS, em alguns casos, não podem mais trabalhar, como aposentados por invalidez
Divulgação

Aposentados pelo INSS, em alguns casos, não podem mais trabalhar, como aposentados por invalidez

Somente em três casos o aposentado pelo INSS não pode seguir trabalhando e recebendo o benefício:

1 –
 Quando a aposentadoria é por invalidez.  Afinal, se a pessoa está inválida, não deve seguir trabalhando, de acordo com a lei. O aposentado por invalidez
que queira voltar e comunique o INSS terá o benefício cortado, ou, em casos de incapacidade parcial e permanente, pode conseguir receber um benefício de 50% e seguir trabalhando.

2 –
 Quando o trabalhador é servidor público estatutário. Nesse caso, a aposentadoria extingue o trabalho automaticamente.

3 – 
Quando a aposentadoria for especial. Sendo assim, a pessoa não pode seguir exercendo atividades que possam colocar em risco a saúde ou a integridade física. Em alguns casos, é possível seguir exercendo a mesma atividade, desde que não seja mais de forma permanente. É usual que quem se aposenta em atividade de risco diminua o ritmo de trabalho de modo a não se expor mais a riscos, desde que documentado.

Todo trabalho remunerado, seja ele de funcionário ou autônomo, requer contribuição para a Previdência Social
. Portanto, mesmo quem volta ou quem segue trabalhando após se aposentar precisa contribuir. O valor do benefício não será aumentado com essa ‘contribuição extra’ de quem segue trabalhando mesmo após aposentado.

Aqueles que continuarem trabalhando na mesma empresa após se aposentarem têm o direito de receber, mensalmente, o FGTS, agora em sua conta particular, não mais em conta vinculada à Caixa Econômica Federal. O depósito por parte da empresa é obrigatório.

A empresa que demitir o funcionário aposentado terá que indenizá-lo pagando todos os direitos trabalhistas. Os dias trabalhados, as férias e o décimo terceiro proporcionais com os devidos acréscimos e multa sobre o saldo do FGTS. O aposentado não terá, no entanto, direito ao seguro-desemprego.

Leia também: Moradores da terceira idade: os cuidados que os condomínios devem ter com idosos

Os documentos originais necessários para que os trabalhadores sejam aposentados pelo INSS
são: documento de identificação válido e oficial com foto, número do CPF, carteiras de trabalho, carnês de contribuição e outros documentos que comprovem pagamento ao INSS.

Comentários Facebook
Advertisement

Economia

Mega-Sena sorteia R$ 7 milhões nesta quarta-feira; veja os números

Published

on

Mega-Sena sorteia R$ 7 milhões nesta quarta-feira
Felipe Moreno

Mega-Sena sorteia R$ 7 milhões nesta quarta-feira

A Caixa Econômica Federal realizou nesta quarta-feira (10) o sorteio 2.509 da Mega-Sena com prêmio estimado em R$ 7 milhões. A Caixa deve divulgar os vencedores nas próximas horas. Em caso de nenhum acerto das seis dezenas, o prêmio irá acumular e se aproximar de R$ 16 milhões no próximo sorteio.

08 – 37 – 39 – 50 – 59 – 60

Como participar do próximo sorteio? O próximo concurso da Mega-Sena acontece no sábado (6), às 20h. É possível apostar até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio , em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa do país.

Também é possível apostar pela internet. O bilhete simples da Mega-Sena, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram  e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Como apostar online na Mega-Sena? Para aqueles que apostarem pela internet, não é possível optar pela aposta mínima, de R$ 4,50. No site da Caixa, o valor mínimo para apostar na Mega-Sena é de R$ 30, seja com uma única aposta ou mais de uma. Veja aqui como apostar.

Para fazer uma aposta maior, com 7 números, dando uma maior chance de ganhar, o preço sobe para R$ 31,50. Outra opção para atingir o preço mínimo é fazer sete apostas simples, que juntas têm o mesmo valor, R$ 31,50. Além disso, os bolões, disponíveis online, são outra opção viável.

Como funciona a Mega-Sena? O concurso é realizado pela Caixa Econômica Federal e o vencedor pode receber milhões de reais se acertar as seis dezenas. Os sorteios ocorrem pelo menos duas vezes por semana – geralmente, às quartas-feiras e aos sábados. O apostador também pode ganhar prêmios com valor mais baixo caso acerte quatro ou cinco números, conhecidas como Quadra e Quina, respectivamente.

Na hora de jogar, o apostador pode escolher os números ou tentar a sorte com a Surpresinha. Esse modelo consiste na escolha automática, realizada pelo sistema, das dezenas jogadas. Outra opção é manter a mesma aposta por dois, quatro ou até oito sorteios consecutivos, conhecida como Teimosinha.

Premiação da Mega-Sena Os prêmios costumam iniciar em, aproximadamente, R$ 3 milhões para quem acertar as seis dezenas. Dessa forma, o valor vai acumulando a cada concurso sem vencedor.

Também é possível ganhar prêmios ao acertar quatro ou cinco números dentre os 60 disponíveis no volante de apostas. Para isso, é preciso marcar de seis a 15 números do volante. O prêmio total da Mega-Sena corresponde a 43,35% da arrecadação. Deste valor:

  • 35% são distribuídos entre os acertadores dos seis números sorteados;
  • 19% entre os acertadores de cinco números (Quina);
  • 19% entre os acertadores de quatro números (Quadra);
  • 22% ficam acumulados e distribuídos aos acertadores dos seis números nos concursos terminados em zero ou cinco; e
  • 5% ficam acumulado para a primeira faixa (Sena) do último concurso do ano de final zero ou cinco.

Fonte: IG ECONOMIA

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas