Connect with us

Mato Grosso

Após roubo a loja, celular encontrado em estrada auxilia na prisão dos suspeitos

Publicado em

Três homens foram presos na tarde desta quarta-feira (17.10) em Tangará da Serra (245 km da Capital), por envolvimento em um roubo a uma loja de eletrodomésticos no município. Na ação, os suspeitos fizeram funcionários e clientes reféns e saquearam um lote de aparelhos celulares do estabelecimento.

A guarnição foi acionada para atender uma loja na região central onde funcionários estariam amarrados após uma ação criminosa. No atendimento a ocorrência, os militares receberam via rádio a informação que um aparelho celular roubado no local, havia sido encontrado na estrada vicinal conhecida como região do ‘lixão’, que dá acesso a Nova Olímpia (203 Km da Capital). Segundo os reféns, o trio estaria em um veículo modelo Focus de cor preto.

Com as informações, a equipe deslocou até a estrada e avistou o veículos Focus. Iniciado o acompanhamento, os suspeitos agiram contra as equipes com diversos disparos de arma de fogo.

Foram 4km de acompanhamento até os suspeitos abandonarem o veículo em um canavial. Os militares, com apoio das equipes da PM e PJC de Nova Olímpia, Denise (209 km da Capital) e Barra do Bugres (164 km da Capital), cercaram o local.

Na ação, os policiais renderam os suspeitos e retomaram os eletrônicos roubados. Os aparelhos estavam no interior do veículo abandonado pelo trio.

Quarenta e cinco celulares, modelo smartphone, foram recuperados. A pistola modelo 380, utilizada pelos suspeitos foi apreendida junto com 5 munições intactas, 2 deflagradas.

Os produtos roubados foram encaminhados à unidade da Polícia Civil da região, junto com o veículo e a arma de fogo utilizada pelo grupo na ação criminosa, para confecção dos termos de prisão em flagrante e demais providências que o caso requer.  

Comentários Facebook
Advertisement

Mato Grosso

Balanço inclui prisão em flagrante e diversos materiais apreendidos

Published

on

Contratos de compra e venda, nove aparelhos celulares, documentos timbrados da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e material artesanal para atear fogo foram alguns dos itens apreendidos na Operação Jomeri, realizada no sábado (13) na região de Colniza. Foi efetivado também Auto de Prisão em Flagrante Delito por posse de arma de fogo e munições. Dos sete mandados de buscas e apreensões expedidos, quatro foram cumpridos com êxito.

A operação foi um desdobramento da ação fiscalizatória realizada no dia 05 de agosto. A iniciativa foi desenvolvida de forma conjunta pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco Ambiental), Promotoria de Justiça de Colniza, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema), Delegacia Regional de Juína, Delegacia Municipal de Colniza, Grupo de Operações Especiais (GOE), Batalhão de Proteção Ambiental da Polícia Militar e Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema).

As instituições envolvidas na operação acreditam que o trabalho de repressão realizado na região foi primordial para que o “Dia do Fogo” não ocorresse. Levantamentos promovidos pelas equipes de inteligência sinalizavam para uma mobilização em larga escala.

Até 11 de agosto, dois dias antes da operação, o Corpo de Bombeiros Militar, por meio do Batalhão de Emergências Ambientais, e a Guarnição de Polícia Militar Ambiental da PMMT, já haviam expedido cinco autos de inspeção, cinco autos de infração e cinco relatórios técnicos na região. Cinco propriedades foram multadas por destruição com uso de fogo de aproximadamente nove mil hectares, totalizando R$ 122 milhões.

Além das medidas de busca e apreensão, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso instaurou dezenas de procedimentos de natureza cível, buscando a reparação socioambiental pela degradação já ocorrida. O valor total das indenizações é de R$ 421.731.922,05.

Desde a notícia de que ocupantes de uma das fazendas da região promoveriam incêndio criminoso na área, a Sema, por meio da Superintendência de Fiscalização e o Núcleo de Inteligência, Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental e Batalhão de Emergências Ambientais do Corpo de Bombeiros Militar, posicionaram suas equipes na área de forma ostensiva a prevenir e impedir a ação dos infratores, bem como identificar as pessoas ligadas à incitação lesiva ao meio ambiente. Já foram lavrados 18 autos de infração pela prática de desmate ilegal, que correspondem a 50% do desmate para o município de Colniza.

De 08 a 12 de agosto, o Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental aplicou em quatro pontos da região multas de R$ 200 mil por quebra de embargo e de R$ 450 mil por desmate ilegal, totalizando R$ 650 mil. Ao todo, foram fiscalizados oito alertas.

Em Mato Grosso, o uso do fogo está proibido desde o dia 1º de julho e a vedação segue até o dia 30 de outubro.

Fonte: MP MT

Comentários Facebook
Continue Reading

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas