conecte-se conosco


Agro Veracidade

Agricultor deve ficar atento ao manejo antirresistência

Publicado

Defesa Agrícola

Agricultor deve ficar atento ao manejo antirresistência

Aprosoja orienta para uso de diferentes modos de ação para controle de doenças, pragas e plantas daninhas


Lucas Ninno

07/11/2018

O plantio de soja em Mato Grosso está quase finalizado e agora, com o desenvolvimento das lavouras, os agricultores precisam estar atentos às doenças e pragas. Por isso, a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) orienta para o manejo antirresistência.

“É importante que o agricultor saiba e entenda que usar produtos com modo de ação diferentes evita que a resistência dos fungos, pragas e plantas daninha aumente nas lavouras”, explica Daniel Pasculli, gerente de Defesa Agrícola da Aprosoja.

O uso de fungicidas, herbicidas e inseticidas tem relação direta com o que acontece na lavoura. Por isso, a necessidade de intercalar produtos com diferentes modos de ação.

A ciência tem tido dificuldade, nos últimos anos, de encontrar novas moléculas e criar novos princípios ativos, aliado ainda à burocracia governamental para regulamentação de novos produtos. “Por isso, é preciso preservar o que temos hoje utilizando sempre diferentes modos de ação”, reforça Pasculli.

A adoção de práticas como o Manejo Integrado de Pragas (MIP) e o Manejo Integrado de Doenças (MID) também é importante para que haja lavouras em pleno desenvolvimento e uma safra de sucesso em 2018/19.

 

Fonte: Ascom Aprosoja


Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215

Email: [email protected]

Comentários Facebook
publicidade

Agro Veracidade

CAFÉ/CEPEA: Com safra 2022/23 ainda incerta, opiniões de agentes divergem

Publicado


Cepea, 26/01/2022 – Agentes consultados pelo Cepea têm opiniões divergentes quanto à produção de café da temporada 2022/23. A Conab indicou, em sua primeira estimativa, que a produção de arábica deve totalizar 38,7 milhões de sacas de 60 kg, aumento de 23,4% em relação à 2021/22. Apesar do avanço, que se deve à bienalidade positiva dos cafezais, o potencial produtivo esperado não deve ser atingido, por conta dos problemas climáticos nos últimos meses. Uma parte dos colaboradores do Cepea acredita que a produção nacional deve ser inferior ao indicado pela Conab, devido à alta taxa de abortamento das flores nos cafezais, por conta da seca e das geadas. Outros agentes, por sua vez, afirmam que o bom volume de chuvas desde dezembro, que vem auxiliando na condição das lavouras e no enchimento dos grãos, pode elevar o rendimento da safra 2022/23. Para esses agentes, o volume colhido na próxima temporada pode se aproximar do projetado pela Companhia. Fonte: Cepea (www.cepea.esalq.usp.br)

Fonte: CEPEA

Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas