conecte-se conosco


Tecnologia

Publicado

Olhar Digital

whatsapp arrow-options
shutterstock

WhatsApp pode ser invadido através de vídeos


O WhatsApp está sofrendo com uma vulnerabilidade que permite que hackers interceptem mensagens e arquivos do usuário simplesmente enviando um vídeo em MP4 modificado. O problema afeta o sitema de buffer do aplicativo e pode ser utilizado para causar execução remota de comandos ou DoS (negação do serviço). Batizado como CVE-2019-11931, o problema foi considerado crítico.

Dependendo de como essas técnicas foram exploradas, o usuário pode ter suas mensagens no aplicativo acessadas por terceiros ou arquivos capturados, tudo remotamente.

Leia também: WhatsApp para Android pode ser invadido via GIF, saiba como se proteger

O problema vem afetando tanto as versões empresariais quanto as edições para consumidor do WhatsApp . A falha é similar ao bug que afetou o aplicativo no mês passado, que permitia que os arquivos do aparelho fossem acessados após o recebimento de um GIF infectado .

O Facebook anunciou que o WhatsApp já corrigiu o problema. Segundo especialistas em segurança da empresa, os usuários do aplicativo no Android , iOS e também no Windows Phone ficaram expostos à falha. A empresa de Mark Zuckerberg divulgou uma lista com as versões do serviço com o bug:

  • Android em versões anteriores ao 2.19.274
  • iOS em versões anteriores ao 2.19.100
  • Enterprise Client em versões anteriores ao 2.25.3
  • Windows Phone em versões anteriores e incluindo o 2.18.368
  • Business para Android em versões anteriores ao 2.19.104
  • Business para iOS em versões anteriores ao 2.19.100
Leia mais:  Robôs sexuais são confundidos com pessoas; entenda como é produzido o design

Leia também: Zueira tem limites? WhatsApp bane membros de grupos com nomes maliciosos

A proteção contra a falha já está sendo disponibilizada para todas as versões do aplicativo. Caso você utilize uma das edições na lista ou não atualiza o WhatsApp há algum tempo, é importante verificar se o software está vulnerável e baixar o app mais recente.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Ok, Google! Nubank, Rappi, iFood e Banco do Brasil chegam ao Assistente

Publicado

por

source

Olhar Digital

google assistente arrow-options
Unsplash

Google Assistente ganha novos recursos


Desde quarta-feira (05) o Google Assistente começou a reconhecer marcas como Banco do Brasil, Nubank, iFood e Rappi . Desta maneira, o assistente virtual pode realizar serviços bancários e de delivery, sendo possível efetuar desde uma transferência bancária até mesmo pedir uma refeição via comando de voz.

Além de ter acesso ao Google Assistente , é necessário possuir o aplicativo em que se gostaria de realizar o serviço baixado. O passo a passo ainda é o mesmo de outras operações com o assistente e basta dizer “Ok, Google…” e completar com o que você deseja fazer. No caso do iFood ou Rappi é possível falar, por exemplo: “Ok Google, acompanhar meu pedido no (aplicativo)” que a tela será direcionada para o mapa de rastreamento do delivery do programa.

Leia também: Você diz ‘por favor’ à assistente virtual?

Com o Nubank e Banco do Brasil , o recurso torna possível realizar transferências bancárias , consultas de saldos de conta, faturas de cartão de crédito e pagamentos. A lógica é a mesma dos aplicativos de comida, sendo apenas necessário falar “Ok Google, quero ver o saldo no (banco)”, por exemplo.

Leia mais:  Nova geração do USB chega a dispositivos em 2020 com velocidade dobrada

A parceria entre Google Assistente e essas empresas parece ser o começo de uma ampliação para outros segmentos. “Em um primeiro momento, contamos com esses quatro parceiros, mas reforçamos que é uma tecnologia aberta, que qualquer desenvolvedor de aplicativos no sistema Android poderá implementar em seus serviços”, afirma Walquiria Saad, líder de parcerias de produto para o Google Assistente no Brasil, por meio de nota divulgada à imprensa.

Fonte: IG Tecnologia
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas