conecte-se conosco


Saúde

Ministro da Saúde garante recursos para obra do Hospital Universitário do Amapá

Publicado


Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, garantiu recursos para obra de hospital no Amapá
Lucio Bernardo Jr. /CÃmara dos Deputados -29.4.2014

Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, garantiu recursos para obra de hospital no Amapá

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, garantiu hoje (10) R$ 40 milhões para a finalização da obra do Hospital Universitário do Amapá, que está sendo construído nas dependências da Universidade Federal do Amapá (Unifap), em Macapá. O hospital foi um dos visitados neste domingo pelo ministro.

Leia também: Saiba as principais propostas de Luiz Henrique Mandetta, novo ministro da Saúde

O ministro da Saúde disse ainda que definirá com a bancada de parlamentares do estado as ações de investimento na região, como a compra de equipamentos para o hospital universitário. Segundo ele, a obra da instituição será finalizada este ano. A intenção é que o hospital seja inaugurado já com os equipamentos. “Não vai faltar recursos. Os recursos estão garantidos pelo Ministério da Saúde”, disse Mandetta durante visita ao local. Ele foi acompanhado do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Os recursos para a obra são provenientes, segundo o ministro, da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, vinculada ao Ministério da Educação (MEC). Já os equipamentos, que ainda deverão ser orçados, cabem ao Ministério da Saúde .

Leia mais:  Europa registra mais de 41 mil casos de sarampo neste ano, afirma OMS

Segundo o governo do Amapá , no total, o Hospital Universitário já tem garantidos R$ 100 milhões, via MEC, para concluir e equipar o hospital universitário.

Leia também: Quem é quem no Ministério da Saúde? Conheça os secretários de Mandetta

Mandetta visitou ainda as obras do Hospital Estadual de Santana e do Hospital de Traumas de Macapá. Segundo o ministro, a situação da maternidade do Hospital Estadual de Santana é “mais complexa”. Será necessário ainda rever a prestação de contas, rever o projeto, fazer um orçamento e, depois, licitar a obra. Não há prazo definido para a conclusão.

“Temos ordem do presidente, Jair Bolsonaro, para não deixar esse tipo de obra largada no tempo, apodrecendo, sem a população usar”, disse o ministro da Saúde

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
publicidade

Saúde

Hospital aplica anticoncepcional vencido em pacientes na zona leste de SP

Publicado

por


hospital
Reprodução/Facebook

Hospital Tibe Setúbal, na zona leste de São Paulo

Ao menos seis mulheres que tiveram filhos recentemente na maternidade do Hospital Municipal Tide Setúbal, no distrito de São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, receberam anticoncepcional com prazo de validade vencido. As informações são do jornal  Agora

Leia também: Homem morre com granada no bolso durante atendimento em Hospital no Rio

Desde 2016, hospitais da rede municipal oferecem o medicamento conhecido como Implanon, um implante inserido sob a pele do braço da mulher, utilizado para evitar a gravidez. Mulheres em situação de rua ou dependentes químicas podem adquirir o anticoncepcional gratuitamente. Em abril deste ano, o serviço também foi estendido para adolescentes de até 17 anos em situação de vulnerabilidade social. 

O lote do medicamento, que tem duração total de 36 meses, chegou ao Hospital Tide Setúbal em setembro de 2019 e estava vencido desde 4 de março deste ano. No entanto, uma das médicas do hospital percebeu o problema apenas no dia 14 de maio.

Leia mais:  Ministro da Saúde faz apelo para público-alvo se vacinar contra a gripe

As seis pacientes que já haviam tido o contraceptivo injetado foram avisadas para retornar ao hospital. Além disso, de acordo com o jornal, outras duas funcionárias do local também receberam o medicamento. Duas unidades do lote de Implanon ainda teriam sido cedidas no dia 7 de maio ao Hospital Professor Alípio Corrêa Neto, na mesma região.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que tomou conhecimento do problema apenas quando foi informada pelo jornal, nessa segunda-feira (20). O órgão informou ainda que alertou 23 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 10 maternidades que fornecem o medicamento. 

Leia também: Jovem de 25 anos passa mal e morre após fazer aplicação de silicone nos glúteos

O servidor Sandro Xavier Bezerra, que faz parte do Condefi (Conselho Deliberativo e Fiscalizador) da Autarquia Hospitalar Municipal, protocolou uma denúncia no Ministério Público para investigar o caso. A direção do Tide Setúbal afirmou que quatro pacientes já retiraram os implantes do anticoncepcional, enquanto as outras duas já agendaram o processo. 

Leia mais:  Tirar meleca do nariz é uma ameaça à saúde e pode causar pneumonia, diz pesquisa

Fonte: IG Saúde
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas