conecte-se conosco


Mato Grosso

Governo garante repasse de R$ 6,4 mi no cofinanciamento do Feas

Publicado

A Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) fará o repasse do cofinanciamento do Fundo Estadual da Assistência Social (FEAS) para os municípios mato-grossenses a partir do mês de abril. O anúncio foi feito pela titular da pasta, Rosamaria Carvalho, na tarde de ontem (13), durante posse da Associação para Desenvolvimento Social dos Municípios de Mato Grosso (APDM-MT).

O valor é a contrapartida do Estado para a rede do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e estava em atraso há um ano. Devido o decreto de calamidade financeira de Mato Grosso, a Setasc fará o pagamento de forma parcelada. O total de R$ 6,4 milhões será dividido em oito parcelas, começando em abril e finalizando no mês de dezembro.

A titular da Setasc, Rosamaria Carvalho, reforça que este valor está previsto desde 2004, por meio da Política Nacional de Assistência Social, que estabeleceu obrigações a cada ente federativo. “Ao Estado compete cofinanciar os serviços, ações, programas e projetos que se desenvolvem dentro da Assistência Social de cada cidade”, define.

Leia mais:  Aeroportos de MT vão a leilão nesta semana e agronegócio é atrativo principal

Na prática, esses repasses são revertidos em ações voltadas para o cidadão, seja por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas).

“O cofinanciamento serve para minimizar os problemas que acontecem no território mato-grossense na área da Assistência Social. Entre eles, podemos destacar o trabalho infantil, a exploração sexual, a questão de gênero, o feminícidio, medidas socioeducativas, entre outros. Fazer esse repasse reflete diretamente no cidadão. É um sopro de esperança e alívio para os municípios”, explica o secretário adjunto de Assistência Social da Setasc, Aguinaldo Garrido.

Serviços

Outro valor em atraso, e que será quitado em parcela única pelo Governo do Estado, é o de serviços cofinanciados conforme resolução da Comissão Intergestores Tripartite (CIT), ligado ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Serão R$ 678 mil, pagos ainda neste primeiro semestre, conforme orçamento da Setasc. O valor será destinado às residências inclusivas, acolhimento de adultos e famílias e centro para microcefalia.

Leia mais:  Levantamento inédito aponta 38 casos de feminicídios no Estado em 2018

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

PM encerra ciclo de palestras com objetivo de interiorizar ações de prevenção

Publicado

por

Na solenidade de encerramento do 4º Ciclo de Assistência Social, Saúde e Bem-Estar do Policial Militar (4º Cassbem), evento realizado entre segunda e sexta-feira (18 a 22), a Coordenadoria de Assistência Social (CAS) anunciou a ampliação e interiorização dos serviços de prevenção ao estresse, aos transtornos, comportamentos suicidas e outras doenças entre os integrantes da Polícia Militar mato-grossense.

O 4º Ciclo ofertou aos policiais 14 palestras com assistentes sociais, psicólogos, psiquiatras, bem como orientações e esclarecimento a respeito de serviços nas áreas da Assistência Social, Saúde e do Direito.

Segundo o coordenador de Assistência Social da PM e líder na organização do evento, major Diego Tocantins, as atividades integram parte da política do serviço de assistência social, porém estavam restritos aos policiais das unidades mais próximas de Cuiabá.

“Isso acontece em decorrência da distância e outras questões estruturais. Agora, a equipe da CAS já está planejando a interiorização. Esses eventos têm o objetivo de prevenir de doenças mentais e físicas, a exemplo do estresse agudo, depressão e comportamento suicida”.

A proposta, destaca Diego Tocantins, é levar o policial à uma vida mais saudável ou, caso o policial já tenha alguma doença, a uma melhor compreensão sobre sua situação e ao tratamento adequado. E ainda, despertar nele um olhar mais atencioso ao colega, tornando-o capaz de se sensibilizar e saber se o companheiro de farda precisa de ajuda.

Leia mais:  Ager fiscaliza ônibus irregulares em Mato Grosso

De acordo com dados do Serviço de Perícia Médica do Estado, nos últimos cinco anos, um total de 629 policiais militares, uma média de 125 ao ano, se afastaram das atividades laborais para tratamento médico por causa do estresse e de doenças comportamentais e transtornos. 

O comandante geral da PM, coronel Jonildo José de Assis, elogiou a organização, o comprometimento da equipe da CAS e os temas abordados. Assis destacou a importância de cuidar preventivamente da saúde da tropa, já que são profissionais que integram uma das carreiras mais estressantes, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Assis defendeu a interiorização das ações preventivas e disse que a CAS contará com o apoio dele para atender os policiais lotados nas unidades dos 13 comandos regionais do interior de Mato Grosso.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas