conecte-se conosco


Entretenimento

Cobertura jornalística de massacre em Suzano prioriza sensacionalismo

Publicado

O tiroteio em uma escola de Suzano (SP) tomou conta dos noticiários brasileiros depois que dois jovens abriram fogo na Escola Estadual Raul Brasil, deixando sete mortos. Como era de esperar, a cobertura jornalística foi intensa, oferecendo informações atualizadas sobre o caso.


Roberto Cabrini
Reprodução/SBT

Roberto Cabrini “salvou” o SBT do jornalismo sensacionalista, mas teve que lidar com fake news de equipe da emissora

Mas, tendo em vista a característica violenta e dramática da tragédia, o que se viu na televisão, em partes, foi uma cobertura jornalística sensacionalista e até despreparada em alguns casos.

Leia também: Jornalista da Globo é critica por cobertura do desastre em Brumadinho

Houve acertos, claro, principalmente dos jornalistas das emissoras locais, que prontamente chegaram à escola e forneceram as primeiras informações. Mas, conforme o dia seguia, algumas narrativas se mostravam sensacionalistas e fora de tom, a começar pelas cenas do circuito interno de câmeras da escola, que mostram com nitidez os ataques.

Todas as emissoras mostraram essas imagens e só a Globo teve o cuidado de editar o vídeo e excluir o momento das mortes, mas ainda assim, a cena dos garotos entrando na escola e abrindo fogo foi amplamente divulgada, assim como imagens feitas por alunos que mostravam o pânico e a correria geral no local.

Leia mais:  #Metoo brasileiro? Famosas apoiam Claudia Leitte após fala sobre Silvio Santos

Certo sangue-frio para lidar com tal situação é necessária por parte dos jornalistas, mas é preciso encontrar um limite, ainda mais ao lidar com os familiares das vítimas. Esse foi um dos principais problemas, exemplificado pelo repórter da BandNews Marcelo Moreira.

Ele encontrou a mãe de um dos assassinos, o jovem GuilhermeTaucci Monteiro e chegou a perguntá-la se ela se sentia responsável pelo ato do filho. Claramente desconfortável com o repórter e em choque com a série de eventos que tinha acabado de descobrir, ficou evidente que a sabatina, da maneira como foi feita pelo repórter, não deveria ter acontecido.

Leia também: Após elogiada ancoragem no “JH” sobre Brumadinho,  Maju Coutinho chega ao “JN”

No SBT a situação não foi muito melhor. A repórter Marcia Dantas foi a primeira da emissora a chegar ao local e, ao invés de noticiar o que parecia um pânico generalizado, entrou em pânico juntos com todos a sua volta. Correndo, ela tentou falar com quem estivesse ali e acabou recebendo uma resposta aos gritos de uma mulher que se recusou a falar com ela. Para completar, o noticiário foi suspenso para a exibição do “Bom Dia & Cia”.

Leia mais:  Relembre hit dos anos 2000 que inspirou discussão na CCJ da Câmara

À tarde, Roberto Cabrini foi pessoalmente ao local e chegou até a falar exclusivamente com o prefeito da cidade. Mas, seu link ao vivo ocorreu durante o “Fofocalizando”, onde Décio Piccinini, de maneira irresponsável, comentou que os jovens poderiam ter sido motivados por sites como “Baleia Azul”, teoria que Cabrini educadamente negou, dizendo apenas que haviam “muitos rumores” sobre o caso.

Datena , que já oferece um tom policialesco em seu telejornal, subiu a dramaticidade ao falar sobre o caso e exibiu os vídeos das câmeras da escola, chegando a pausar a gravação para analisar detalhes.

Leia também: CNN é acusada de adotar tom machista na cobertura de ataque à sede do YouTube

Tragédias são sempre difíceis de lidar pois, ao mesmo tempo que as pessoas precisam de informações, lida-se com perda, violência e dor. A cobertura jornalística nesses casos sempre fica numa linha tênue entre o aceitável e o exagero. Mas, o que se viu na quarta-feira (13) foi a vitória do exagero, prezando pela audiência e não pelo tratamento correto do assunto.

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Dia da Toalha: veja o que dá orgulho aos nerds em 2019

Publicado

por

Neste sábado (25) é comemorado o Dia do Orgulho Nerd . A data foi escolhida inicialmente para homenagear Douglas Adams, criador do “Guia do Mochileiro das Galáxias”, bem como a estreia do primeiro “Star Wars” em 1977.


montagem com personagens de vingadores, stranger things e shazam
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

De um jeito ou de outro, o Dia do Orgulho Nerd serve para os geeks celebrarem os acontecimentos pop que eles mais amam. Na última década, porém, muito mudou em relação ao mundo geek e, o que antes era considerado de nicho e muitas vezes criticado, hoje virou pop e é apreciado por um grupo cada vez maior de pessoas.

As HQs ganharam as telas de cinema e os videogames também. A Terra Média virou ponto de visitação na Nova Zelândia, e os ídolos de Hollywood abraçaram seu lado nerd. Com o passar dos anos a cultura geek foi crescendo e se diversificando e, em 2019, há muito para se orgulhar. Por isso selecionamos oito coisas que trazem orgulho para os nerds:

  • “Vingadores: Ultimato”

cena de vingadores ultimato
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

O que mais dá orgulho para os geeks do mundo todo do que ver os heróis, antes limitados às páginas de HQs, ganharem o cinema e fãs ao redor do mundo? Com a maior bilheteria do ano e uma das maiores da história , “Vingadores: Ultimato” é a maior prova de que ser nerd virou pop.

  • “Stranger Things”

personagens de stranger things fantasiados de caça-fantasmas
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

A série, além de ter como protagonistas quatro nerds de carteirinha, explora muitos temas do universo, como games, filmes, cosplay e, vez ou outra, o Mundo Invertido. A série é geek, mas também homenageia os geeks dos anos 1980 com louvor.

  • CCXP

jake gyllenhaal acena para o público na ccxp 2018
CCXP/ I Hate Flash

Jake Gyllenhaal

Considerado um evento de “ cultura pop ”, ele tem suas raízes no geek. Há 20 anos, talvez esse tipo de evento jamais existisse por aqui, principalmente na proporção que tem hoje. Mas a propagação de temas considerados nerds para fora desse nicho fez com que o evento fosse concorridíssimo e atraísse pessoas do Brasil inteiro. A CCXP também segue o modelo da Comic Com de San Diego, nos EUA, que começou bem menor do que é hoje.

  • DC nos cinemas
Leia mais:  Anitta aparece sensualizando para David Brazil, que brinca: “Tá me estranhando?”

cena de aquaman
Divulgação

“Dia do Orgulho Nerd

Enquanto Batman já ganhou diversas adaptações com olhares distintos a partir de seus diretores, a Warner não costumava dar muita sorte em outras versões para o cinema das HQs da DC. Mas, nos últimos anos isso tem mudado e filmes como “Aquaman”, de 2018 e “Shazam”, de abril de 2019, mostram que finalmente os fãs têm do que se orgulhar no que diz respeito aos maiores heróis dos quadrinhos.

  • Batman

batman de adam west
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

Por falar em DC, 2019 é um ano importante para a editora, já que seu principal herói faz aniversário. A primeira aparição do Homem-Morcego nos gibis, criação de Bill Finger e Bob Kane, foi em 1939, 80 anos atrás. No cinema, o herói já foi vivido por Michael Keaton, George Clooney, Val Kilmer, Christian Bale e Bem Affleck, enquanto na TV foi eternizado por Adam West.

Agora, o nome de Robert Pattinson é o mais cotado para assumir o herói , que vive sua fase mais difícil no cinema. Ainda assim, ele segue sendo um dos principais heróis na memória popular, e com o histórico mais rico no além das HQs.

  • “Homem-Aranha no Aranhaverso”

cena de homem aranha no aranhaverso
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

Versões animadas dos quadrinhos não são novidades, e filmes do gênero são lançados com certa frequência. Mas nenhum deles tem a mesma repercussão que live-actions e, com certeza, nenhum chegou tão longe quanto “Homem-Aranha no Aranhaverso”, que além de terminar 2018 como um dos melhores filmes do ano, levou o Oscar de Melhor Animação, superando sucessos da Pixar como “Os Incríveis 2” e “Wi-fi Ralph”.

  • Netflix
Leia mais:  “As Viúvas” se assume como filme de arte para subverter lógica do blockbuster

cena de the umbrella academy
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

Ok, ok, “Stranger Things” é da Netflix. Mas o streaming merece ser reconhecido no geral por que sempre apostou no universe geek em suas produções, e continua fazendo isso. Com a Marvel eles desenvolveram seis histórias distintas, que chegaram ao fim somente por conta do novo streaming da Disney.

Ainda assim, eles não desistiram de desenvolveram produtos com esse público em mente e, em 2019, laçaram “Umbrella Academy”, adaptada da HQ escrita por Gerard Way, que já tem segunda temporada confirmada. Além disso, eles assinaram um contrato com o selo Dark Horse que lhe dá prioridade sobre os títulos publicados no futuro. Ou seja, a plataforma segue com os geeks em mente e continua pensando suas produções para esse público.

  • Representação nerd

cena de the big bang theory
Divulgação

Dia do Orgulho Nerd

Por fim, um bom motivo para comemorar é o próprio “status” do nerd. De “Scott Pilgrim Contra o Mundo”, passando pela recente “Future Man”, “Stranger Things” e “Big Bang Theory”, a representação do nerd na cultura popular mudou muito.

John Hughes e muitos outros criadores de comédias românticas costumam dedicar um papel ao nerd, mas normalmente ele era sempre mostrado de forma pejorativa. Isso é cada vez mais raro e o nerd – que nada mais é do que um grupo de pessoas com interesse em histórias com raízes mágicas ou místicas, fantasias e aventuras que, na verdade, agradam muita gente.

Leia também: 2019 terá retorno de fenômenos culturais e séries novas promissoras

Por isso, o Dia do Orgulho Nerd é uma celebração para esse grupo, mas também sobre esse grupo, e sua contribuição crescente para a cultura pop.

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Política MT

Mato Grosso

Nacional

Entretenimento

Tecnologia

Mais Lidas